Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

Síndrome das pernas inquietas

02 Out Síndrome das pernas inquietas

Definição


A síndrome das pernas inquietas (SPI) é uma condição em que se sente bastante desconforto nas pernas que surge, por norma, no final do dia quando se está sentado ou deitado. Desencadeia uma vontade de  levantar e mexer. Quando o faz, a sensação de desconforto da síndrome das pernas inquietas desaparece temporariamente.

A síndrome das pernas inquietas pode ocorrer em qualquer idade, e por norma piora com o avançar da idade. A síndrome das pernas inquietas pode causar distúrbios do sono, que levam a sonolência diurna, e dificultam a locomoção.

Existem varias medidas que o próprio pode adoptar e conciliar com algumas  mudanças de estilo de vida que ajudam. Alguns medicamentos também ajudam  pessoas com a  síndrome das pernas inquietas.


Sintomas

Sintomas descritos mais comuns
Os sintomas da síndrome das pernas inquietas  são descritos como sensações  anormais e desconfortáveis nos gémeos, coxas e pés. Estas sensações poderão  ocorrer nos braços, frequentemente descritos como:

  • Formigueiro
  • Arrepio
  • Sensação de puxar
  • Guinadas
  • Comichão
  • Dor
  • Pontadas
  • Moideira
  • Ardor

Por vezes os sintomas, parecem não ter descrição possível. Por norma, as pessoas afectadas não descrevem o sintoma como uma caimbra ou entropecimento. No entanto, todos descrevem  a irresistível vontade de mexer as pernas.

É comum haver oscilações na gravidade dos sintomas, e ocasionalmente os sintomas desaparecem, por alguns períodos de tempo.

Padrões mais reportados
Características comuns da SPI, sinais e sintomas incluem:

  • É desencadeado em repouso. Os sintomas começam por norma, após longos períodos em que esta sentado ou deitado, tal como no carro, avião ou no cinema.
  • Alivio ao mexer-se. Os sintomas da SPI diminuem ao levantar e mover. Existem varias formas descritas para combater a sensação de pernas irrequietas  — esticar-se, sacudir as pernas, andar para trás e para a frente, exercícios ou andar. Este desejo irresistível de mexer as penas, é o que dá ao síndrome das pernas inquietas o seu nome.
  • Os sintomas pioram ao fim do dia. Os sintomas são por norma mas toleráveis durante o dia, e são sentidos principalmente á noite.
  • Espasmos nocturnos nas pernas. A SPI pode estar associado com outra condição, chamada desordem de movimento periódica do membro (PLMD). A PLMD causa causa movimentos involuntários de extensão e flexão das pernas durante o sono  — sem ter consciência do movimento.  Estes espasmos  ou movimento de pontapé, podem ocorrer centenas de vezes durante a noite.  Em caso de SPI grave, estes movimentos involuntários de pontapé, também podem ocorrer quando se esta acordado. A PLMD é comum em pessoas na idade adulta mais avançada, mesmo que não tenham SPI, e nem sempre causa distúrbios do sono. Mais de 4 em 5 pessoas com SPI também sofrem de  PLMD

 

Quando consultar o medico

Algumas pessoas com a síndrome das pernas inquietas não procuram ajuda médica, por acharem que os sintomas são demasiado difíceis de descrever, ou não serão levados a sério.
Alguns médicos atribuem de forma errada os sintomas a nervosismo, stress, insónias, ou caimbras musculares. No entanto, a SPI tem vindo a receber, nestes últimos anos, mais atenção dos meios de comunicação social, e da comunidade medica, fazendo com que as pessoas estejam mais atentas e esta condição.

Se pensa que poderá ter SPI, consulte o seu médico.



Causas


Em muitos casos, não existem causas conhecidas para a síndrome das pernas inquietas.  Investigadores suspeitam que a origem desta  condição possa estar num desequilíbrio químico de dopamina no cérebro. Este químico envia mensagens que controlam o movimento muscular.

Hereditariedade
A SPI é hereditária em pelo menos metade das pessoas com SPI, especialmente se a condição começou numa idade ainda muito nova.  Investigadores identificaram sítios nos cromossomas onde podem estar presentes genes de SPI.

Gravidez               
A gravidez  ou mudanças hormonais poderão piorar temporariamente os sinais e sintomas da SPI. Algumas mulheres conhecem os efeitos de SPI pela primeira vez durante a gravidez, especialmente durante o último trimestre. No entanto e para a maior parte dos casos, por norma  os sinais e sintomas da SPI desaparecem  rapidamente após o parto.

Condições relacionadas
Por enquanto a síndrome das pernas inquietas não está relacionada a nenhuma condição médica grave subjacente. Porem, a SPI acompanha por vezes outras condições, tais como:

  • Neuropatia periférica.  Estes danos nos nervos das mãos e pés, é por vezes devido a doenças crónicas tais como a diabetes e o alcoolismo.
  • Deficiência de ferro. Mesmo sem anemia, a deficiência de ferro pode causar ou piorar a SPI. Se existe um historial de hemorragias no estômago ou intestinos, períodos menstruais graves ou perder sangue de forma repetida, poderá haver uma deficiência de ferro.
  • Insuficiência renal. No caso de insuficiência renal, também poderá haver uma deficiência de ferro, e muitas vezes anemia. Quando há uma insuficiência renal, as reservas de ferro no sangue diminuem. Isto, e outras mudanças da química corporal, podem causar ou piorar a SPI.

Diagnóstico


O diagnóstico é feito ao ouvir a descrição dos sintomas e através de perguntas sobe o historial clínico. Para que o diagnóstico seja positivo para SPI, deverão ser encontrados pelo menos quarto critérios estabelecidos pelo Grupo de Estudo Internacional da Síndrome das Pernas Inquietas:

  • Uma vontade enorme e muitas vezes irresistível de mexer a pernas, normalmente acompanhado por sensações desconfortáveis.  Estas sensações são por norma descritas como formigueiro, arrepio, pontadas, sensação de puxar, guinadas ou comichão
  • Os sintomas começam e pioram quando se esta em repouso, tal como sentado ou deitado.
  • Os sintomas são parcialmente ou temporariamente aliviados com actividade física, tal como caminhar ou alongamentos, enquanto se mantiver activo.
  • Os sintomas são piores durante a noite.

Exames ao sangue ou estudos aos múscolos ou aos nervos, poderão se feitos, de forma a excluir outras causas possíveis para os sintomas.

Para além disso, o seu médico poderá referi-lo a um especialista do sono, para uma avaliação adicional. Isto poderá requerer  pernoitar numa clínica, onde os médicos irão avaliar de perto os seus hábitos de sono e verificar se tem espasmos nas pernas (desordem de movimento periódica do membro)   — um possível indício de SPI. No entanto, por norma o diagnóstico da SPI não requer um estudo do sono.


Tratamento


Por vezes, ao tratar uma condição subjacente, tal como uma deficiência de ferro ou neuropatia periférica, alivia bastante os sintomas da síndrome das pernas inquietas. Corrigir a deficiência de ferro poderá requerer a toma de suplementos de ferro. Só tome suplementos de ferro com aconselhamento médico, e após fazer análises sanguíneas.

Se a SPI não tem nenhuma condição associada, o tratamento focará em mudanças no estilo de vida, e se isso não for eficaz, medicação.

Terapia medicamentosa
Existem vários medicamentos, sujeitos a prescrição medica, que reduzem o mau estar nas pernas, a maior parte dos quais foram desenvolvidos para tratar outras doenças. Estes incluem:These include:

  • Medicamentos para a doença de Parkinson’s . Estes medicamentos reduzem a quantidade de movimento nas pernas, ao afectar o nível do químico mensageiro dopamina no cérebro. Dos medicamentos estão aprovados pela Administração de Alimentos e Fármacos para o tratamento de SPI moderada a grave, estes são, ropinirole (Requip) e o pramipexole (Mirapex).

Também é comum médico utilizarem outro medicamentos para Parkinson’s, para tratar a síndrome das pernas inquietas, como por exemplo uma combinação de carbidopa e levodopa (Sinemet). Quem sofre de SPI não corre risco acrescido de desenvolver a doença de Parkinson’s, comparativamente com quem não sofre de SPI. Os efeitos secundários de curta duração dos medicamentos de Parkinson’s, são por norma ligeiros e incluem náusea, vertigens e fadiga.

  • Medicamentos para a epilepsia. Alguns medicamentos  para a epilepsia, como por exemplo gabapentin (Neurontin), resultam com alguns pacientes com SPI.
  • Opióides. Medicamentos narcóticos, alivíam sintomas moderados a graves, mas podem ser viciantes se consumido em doses altas. Alguns exemplos deste medicamento incluem codeína, oxicodona (Oxycontin, Roxicodone), o medicamento combinado oxicodona e acetaminophen (Percocet, Roxicet), e o medicamento combinado hidrocodona e acetaminofeno (Lortab, Norco,Vicodin).
  • Relaxantes musculares e soníferos. Esta classe da medicação, conhecida como benzodiazepinas, ajuda a dormir melhor de noite. Mas no entanto, estes medicamentos não eliminam as sensações nas pernas, e causam tonturas diurnas. Dos sedativos comuns usados para a SPI, estão incluídos Clonazepan (Klonopin), ), triazolam (Halcion), eszopiclone (Lunesta), ramelteon (Rozerem), temazepam (Restoril), zaleplon (Sonata) and zolpidem (Ambien).

Poderão ser necessárias várias tentativas para encontrar, juntamente com o médico, a medicação certa, na dosagem adequada. O medicamento combinado será o que funciona melhor.

Precauções medicamentosas
Nunca esquecer em relação a medicamentos para tratar a SPI, é que por vezes um medicamento que já tenha funcionado durante uns tempos torna-se ineficaz. Ou os sintomas começam a regressar cada vez mais cedo durante o dia. Por exemplo, se a medicação for tomada as 20h00, os sintomas poderão voltar às18h00. A isto é chamasse reforço. O médico poderá fazer a substituição com outro medicamento de forma a combater o problema.

A maior parte dos medicamentos prescritos para tratar a SPI não são recomendados a gestantes. Em vez disso, o médico poderá recomendar técnicas de cuidados de saúde a ter, de forma a aliviar os sintomas. No entanto, se os sintomas forem particularmente incómodos durante o último trimestre, o médico poderá receitar analgésicos.

Alguns medicamentos poderão piorar os sintomas da SPI. Nestes estão incluídos a maior parte do antidepressívos e alguns medicamentos que aliviam a náusea. O médico poderá recomendar que evite dentro do possível, esse tipo de medicamento. Contudo, caso seja necessária a toma destes tipos de medicamentos, a sensação de pernas inquietas pode ser contolada ao adicionar medicamentos que tratam essa condição.



Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×