Peritonite

02 Out Peritonite

Definição


A peritonite é uma infecção bacteriana ou fúngica do peritoneu, uma membrana que parece seda, que reveste o interior da parede abdominal e cobre os órgãos dentro do abdómen. A peritonite pode resultar de uma ruptura (perfuração) no abdómen, ou de uma complicação causada por outro problema médico.

A peritonite requer atenção médica imediata no combate à infecção e, se necessário, para tratar de qualquer condição médica base. O tratamento da peritonite normalmente inclui antibióticos e, em alguns casos, cirurgia. Quando não tratada, a peritonite pode levar a uma infecção generalizada muito grave e, potencialmente, pôr em risco a própria vida.

Se o paciente está a realizar diálise peritoneal, este pode prevenir o surgimento de uma peritonite ao realizar uma boa higiene antes, durante e após o tratamento.


Sintomas

Os sinais e sintomas da peritonite incluem:

  • Dor abdominal e sensibilidade ao toque
  • Inchaço no abdómen ou sensação de estômago cheio
  • Febre
  • Náusea ou vómitos
  • Perda de apetite
  • Diarreia
  • Baixa produção de urina
  • Sede
  • Dificuldade em evacuar ou libertar gases
  • Fatiga

Se estiver a fazer diálise peritoneal, os sintomas de peritonite também incluem:

  • Fluido da diálise turvo
  • Manchas brancas, fios ou fibras no fluido da diálise

Quando ir ao médico
A peritonite pode ser fatal se não for tratada imediatamente. Contacte o seu médico imediatamente se sentir uma dor grave ou sensibilidade ao toque na região do abdómen, inchaço abdominal ou sensação de “estar cheio” associadas a:

  • Febre
  • Náusea ou vómitos
  • Baixa produção de urina
  • Sede
  • Dificuldade em evacuar ou libertar gases

Se estiver a fazer diálise peritoneal, contacte o seu médico imediatamente se o líquido da diálise parecer turvo e se conter manchas brancas, fios ou fibras, ou se tem um odor diferente do habitual, especialmente se a área em volta do tubo (cateter) estiver avermelhada ou dorida. Estes podem ser possíveis sinais de peritonite.



Causas


A infecção do peritoneu pode ocorrer por variadas razões. Na maioria dos casos, a causa é uma ruptura (perfuração) na parede abdominal. Apesar de ser raro, esta infecção pode-se desenvolver sem uma ruptura da parede abdominal. Este tipo de peritonite é chamado de peritonite bacteriana espontânea.

As causas mais comuns de ruptura que levam à peritonite incluem:

  • Procedimentos médicos, como a diálise peritoneal. A diálise peritoneal utiliza tubos (cateteres) para retirar produtos desnecessários do sangue, quando os rins já não conseguem fazer adequadamente esta filtragem. A infecção pode ocorrer durante a diálise devido a falta de condições sanitárias, falta de higiene ou equipamento contaminado. A peritonite também se pode desenvolver devido a complicações em cirurgias gastrointestinais, no uso de tubos de alimentação ou ao retirar fluído do abdómen (paracentese).
  • Ruptura do apêndice, úlcera no estômago ou cólon perfurado. Qualquer uma destas condições pode permitir que a bactéria aceda ao peritoneu através de um furo no trato gastrointestinal.
  • Pancreatite. A inflamação do pâncreas (pancreatite), agravada pela infecção, pode conduzir a uma peritonite se a bactéria se espalhar para fora do pâncreas.
  • Diverticulite. A infecção das pequenas bolsas do trato digestivo (diverticulite) pode causar uma peritonite se uma das bolsas rebentar, espalhando o conteúdo intestinal pelo abdómen.
  • Trauma. Uma lesão ou trauma podem causar uma peritonite ao permitirem que a bactéria ou químicos de outros locais do corpo penetrem no peritoneu.

A peritonite que se pode desenvolver sem qualquer ruptura abdominal (peritonite bacteriana espontânea) é, normalmente, uma complicação de uma doença no fígado como a cirrose. Uma cirrose avançada pode causar uma acumulação de líquido na cavidade abdominal (ascite). A acumulação de líquido facilita a infecção bacteriana.


Diagnóstico


Para diagnosticar uma peritonite, o médico necessita da sua história médica e de realizar um exame físico. Quando a peritonite está associada à diálise peritoneal, os sinais e sintomas, particularmente o fluído da diálise turvo, pode ser suficiente para que o médico consiga fazer o diagnóstico.

Quando a peritonite é consequência de outras condições médicas (peritonite secundária), ou em que a infecção resulta de um excesso de líquido na cavidade abdominal (peritonite bacteriana espontânea), o médico poderá recomendar os seguintes exames para confirmar o diagnóstico:

  • Análise do líquido peritoneal. Utilizando uma agulha fina, o médico poderá retirar uma amostra do líquido do peritónio (paracentese). Em caso de peritonite, a análise deste líquido poderá mostrar um aumento dos leucócitos, normalmente indicativa de uma infecção ou inflamação. A cultura do líquido poderá revelar, também, a presença de bactéria.
  • Análises ao sangue. Poderá ser recolhida uma amostra de sangue para analisar a contagem de leucócitos. A análise de sangue poderá, também, determinar se existem bactérias no sangue.
  • Testes radiológicos. O médico poderá querer fazer um raio-X para procurar perfurações no trato gastrointestinal. Poderá ser feita uma ecografia. Em alguns casos, o médico poderá utilizar uma tomografia axial computorizada (TAC) em vez de um raio-X.

Os testes acima mencionados também poderão ser necessários se estiver a realizar diálise ou para confirmar o diagnóstico de peritonite, no caso de incerteza após exame físico e análise do líquido da diálise.


Tratamento


Poderá ser necessária a hospitalização se a peritonite for causada por uma infecção de outra condição médica (peritonite secundária). O tratamento pode incluir:

  • Antibióticos. Existe uma grande probabilidade de se utilizar antibióticos para combater a infecção e prevenir a sua propagação. O tipo e duração da terapia farmacológica depende da gravidade da condição e do tipo de peritonite.
  • Cirurgia. O tratamento cirúrgico é muitas vezes necessário para remover o tecido infectado, tratar a causa da infecção e prevenir a sua propagação.
  • Outros tratamentos. Dependendo dos sinais e sintomas, o tratamento no hospital poderá incluir analgésicos, terapia intravenosa, suplemento de oxigénio e, em alguns casos, transfusão de sangue.

No caso de realizar diálise peritoneal:
Se tiver peritonite, o médico poderá recomendar que a diálise seja feita de outra maneira durante alguns dias, enquanto o corpo recupera da infecção. Se a peritonite persistir ou reaparecer, poderá ser necessário parar completamente a diálise peritoneal e mudar para uma forma diferente de diálise.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×
Comunicado

 

No âmbito do Plano de Prevenção e Controlo de Infeção por COVID-19, o Grupo Sanfil Medicina encontra-se a ajustar as atividades de saúde nas suas unidades.

 

Este plano tem como objetivos diminuir o risco de exposição de utentes e profissionais e define um conjunto de orientações de modo a que tal possa acontecer.

 

A COVID-19 é uma doença em fase de pandemia que urge combater com todos os recursos disponíveis, pelo que contamos com a colaboração de todos os utentes e profissionais.

 

Ler Comunicado
×