Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

Olho preguiçoso (ambliopia)

01 Out Olho preguiçoso (ambliopia)

Definição


Olho preguiçoso (ambliopia) é uma redução da acuidade visual que resulta de um desenvolvimento visual anormal durante os primeiros tempos de vida. Geralmente, afeta apenas um olho, mas pode afetar os dois olhos. Com olho preguiçoso, não existem danos nem anomalias aparentes no olho. O olho preguiçoso é a causa principal de visão reduzida entre as crianças. Quando não é tratada, a perda de visão pode variar entre média a grave.

O olho preguiçoso desenvolve-se quando as vias nervosas entre o cérebro e o olho não são corretamente estimuladas. Isto pode resultar num estado em que o cérebro favorece um dos olhos, geralmente devido a visão fraca no outro olho. O olho mais fraco tende a vaguear. O cérebro pode mesmo ignorar os sinais recebidos do olho mais fraco ou preguiçoso.

Os tratamentos convencionais como, por exemplo, utilização de lentes ou óculos corretivos ou de uma pala conseguem geralmente corrigir o olho preguiçoso. Por vezes, o olho preguiçoso requer tratamento cirúrgico.


Sintomas

Os sinais e sintomas de olho preguiçoso incluem:

  • Um olho que vagueia para dentro ou para fora
  • Olhos que parecem não funcionar em conjunto
  • Perceção de profundidade fraca

Apesar de o olho preguiçoso geralmente afetar apenas um dos olhos, é possível que ambos os olhos sejam afetados.

Quando consultar um médico
Os exames oftalmológicos fazem geralmente parte dos exames de rotina das crianças, especialmente se existir um historial familiar de estrabismo, cataratas infantis ou outros problemas oftalmológicos. Todas as crianças devem realizar um exame oftalmológico completo, geralmente recomendado entre os 3 e os 5 anos. Caso note que o olho do seu filho vagueia a qualquer momento durante as primeiras semanas de vida, consulte o seu médico para avaliá-lo. Dependendo das circunstâncias, pode encaminhar o seu filho para um médico especialista em problemas oftalmológicos (oftalmologista ou optometrista).



Causas


Tudo o que desfocar a visão da criança ou fizer com que os olhos se cruzem ou rodem para fora pode provocar olho desfocado. Algumas das causas mais incomuns incluem:

  • Estrabismo. A causa mais comum do olho preguiçoso é estrabismo, um desequilíbrio nos músculos responsáveis pelo posicionamento dos olhos. Este desequilíbrio pode fazer com que os olhos se cruzem ou rodem para fora. O desequilíbrio muscular impede que os olhos acompanhem o movimento um do outro de uma forma coordenada.
  • Anomalia anatómica ou estrutural do olho. Por vezes, o olho preguiçoso é resultado de uma anomalia como, por exemplo, uma retina central anormal ou uma área nebulosa no cristalino (catarata). Noutros casos, uma diferença anormal na forma ou tamanho dos olhos contribui para o olho preguiçoso.
  • Tumor. Ocasionalmente, um olho que vagueia é o primeiro sinal de um tumor ocular.

Diagnóstico


  • O olho preguiçoso é diagnosticado com um exame oftalmológico completo. O médico analisará se os seus olhos vagueiam, se existe uma diferença de visão entre os dois ou uma visão fraca em ambos os olhos. Geralmente, não são necessários testes de diagnóstico especiais.

Tratamento


Idealmente, o tratamento do olho preguiçoso começa nos primeiros tempos de vida, quando se estão a formar ligações complicadas entre o olho e o cérebro. Dependendo da causa e do nível de afetação da visão da criança, as opções de tratamento podem incluir:

  • Utilização de lentes ou óculos corretivos. Se uma condição, como miopia, hipermetropia ou astigmatismo estiver a contribuir para o olho preguiçoso, é provável que sejam prescritos óculos ou lentes de contacto corretivos. Por vezes, apenas é necessária a utilização de lentes ou óculos corretivos.
  • Palas para os olhos. Para estimular o olho mais fraco, o seu filho pode utilizar uma pala no olho mais forte, possivelmente durante duas ou mais horas do dia, dependendo da gravidade do olho preguiçoso. Isto ajuda a parte do cérebro que gere a visão a desenvolver-se de forma mais completa.
  • Colírio. Uma gota diária ou duas por vezes por semana de um medicamento denominado atropina poderá desfocar temporariamente a visão no olho mais forte. Assim, a utilização do olho mais fraco é incentivada e oferece uma alternativa à utilização de uma pala.
  • Cirurgia. Se o seu filho sofrer de estrabismo ou caso desvie os olhos para fora, os músculos oculares podem beneficiar de uma correção cirúrgica. Pálpebras caídas ou cataratas também podem necessitar de intervenção cirúrgica.

Na maioria das crianças com olho preguiçoso, o tratamento correto melhora a visão no prazo de semanas ou meses e quanto mais cedo for iniciado, melhor. Apesar de as pesquisas sugerirem que é possível efetuar tratamento até aos 17 anos, os resultados são melhores quando o tratamento é iniciado nos primeiros tempos de vida.



Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×
Comunicado

 

No âmbito do Plano de Prevenção e Controlo de Infeção por COVID-19, o Grupo Sanfil Medicina encontra-se a ajustar as atividades de saúde nas suas unidades.

 

Este plano tem como objetivos diminuir o risco de exposição de utentes e profissionais e define um conjunto de orientações de modo a que tal possa acontecer.

 

A COVID-19 é uma doença em fase de pandemia que urge combater com todos os recursos disponíveis, pelo que contamos com a colaboração de todos os utentes e profissionais.

 

Ler Comunicado
×