Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

Hidrocefalia

01 Out Hidrocefalia

Definição


A hidrocefalia é a acumulação de fluido nas cavidades (ventrículos) profundas do cérebro. O fluido em excesso aumenta o tamanho dos ventrículos e exerce pressão no cérebro.

O fluido cerebrospinal normalmente flui pelos ventrículos e banha o cérebro e a coluna vertebral. Mas a pressão de demasiado fluido cerebrospinal associada a hidrocefalia pode danificar tecidos do cérebro e provocar um grande espetro de danos nas funções cerebrais.

Embora a hidrocefalia possa ocorrer em qualquer idade, é mais comum entre as crianças e adultos mais velhos.

O tratamento cirúrgico para a hidrocefalia pode repor e manter os níveis normais de fluido cerebrospinal no cérebro. Frequentemente são necessárias várias intervenções para administrar sintomas ou incapacidades funcionais resultantes de hidrocefalia.


Sintomas


Os sinais e sintomas de hidrocefalia variam geralmente de acordo com a idade de início:

Crianças
Os sinais e sintomas comuns de hidrocefalia em crianças incluem:

  • Uma cabeça anormalmente grande
  • Um aumento rápido do tamanho da cabeça
  • Um ponto inchado ou sensível (fontanela) no topo da cabeça
  • Vómitos
  • Sonolência
  • Irritabilidade
  • Má alimentação
  • Convulsões
  • Olhos fixos para baixo (olhos em sol poente)
  • Déficit em termos do da resistência e aspeto dos músculos, resposta do toque e crescimento esperado

Bebés e crianças mais velhas
Entre os bebés e crianças mais velhas, os sinais e sintomas podem incluir:

  • Aumento anormal da cabeça do bebé
  • Dor de cabeça
  • Náuseas ou vómitos
  • Febre
  • Atrasos no andar ou fala
  • Problemas com competências previamente adquiridas, tais como andar ou falar
  • Visão turva ou dupla
  • Equilíbrio instável
  • Má coordenação
  • Irritabilidade
  • Mudança de personalidade
  • Problemas com a atenção
  • Diminuição do rendimento escolar
  • Pouco apetite
  • Convulsões
  • Sonolência
  • Dificuldade em permanecer acordado ou em acordar

Jovens e adultos de meia idade
Os sinais e sintomas comuns nesta faixa etária incluem:

  • Dor de cabeça
  • Dificuldade em permanecer acordado ou em acordar
  • Perda de coordenação ou equilíbrio
  • Perda de controlo da bexiga ou uma vontade frequente de urinar
  • Dificuldade de visão
  • Declínio da memória, concentração e outras competências de raciocínio que podem afetar o desempenho no trabalho

Adultos mais idosos
Entre os adultos com 60 anos ou mais, os sinais e sintomas mais comuns de hidrocefalia são:

  • Perda de controlo da bexiga ou uma vontade frequente de urinar
  • Perda de memória
  • Perda progressiva de outras competências de raciocínio ou pensamento
  • Dificuldade em andar, frequentemente descrita como r dos pés ou sensação de prisão dos pés
  • Má coordenação ou equilíbrio
  • Em geral, movimentos mais lentos do que o normal

Quando consultar um médico
Procure aconselhamento médico de imediato para crianças e bebés que apresentem estes sinais e sintomas:

  • Um choro muito agudo
  • Problemas ao amamentar ou alimentar
  • Vómitos inexplicáveis e recorrentes
  • Uma relutância em dobrar ou mover o pescoço ou a cabeça
  • Dificuldades respiratórias
  • Convulsões

Procure tratamento médico imediato aquando de outros sinais ou sintomas em qualquer faixa etária.

Porque mais do que uma condição pode resultar nos problemas associados a hidrocefalia, é importante receber um diagnóstico atempado e cuidados apropriados.


Causas


A hidrocefalia é provocada por um desequilíbrio entre a quantidade de fluido cerebrospinal que é produzido e a quantidade que é absorvido na corrente sanguínea.

Fluido cerebrospinal
O fluido cerebrospinal é produzido por tecidos que revestem os ventrículos do cérebro. Flui pelos ventrículos através de canais interligados e eventualmente flui para espaços em torno do cérebro e da coluna vertebral. É absorvido principalmente por vasos sanguíneos em tecidos perto da base do cérebro.

O fluido cerebrospinal desempenha um papel importante no funcionamento do cérebro:

  • Mantendo o cérebro a flutuar, permitindo que o cérebro relativamente pesado flutue dentro do crânio
  • Amortecer o cérebro para prevenir lesões
  • Remover produtos indesejados do metabolismo do cérebro
  • O fluxo de um lado para o outro entre a cavidade do cérebro e a coluna vertebral mantém uma pressão constante dentro do cérebro — compensando as alterações da pressão arterial no cérebro

Excesso de fluido
O excesso de fluido cerebrospinal nos ventrículos ocorre por um dos seguintes motivos:

  • Obstrução. O problema mais comum é uma obstrução parcial do fluxo normal de fluido cerebrospinal, de um ventrículo para outro ou dos ventrículos para outros espaços em torno do cérebro.
  • Absorção deficiente. Menos comum é um problema com os mecanismos que permitem que os vasos sanguíneos absorvam fluido cerebral espinal. Isso está frequentemente relacionado com uma inflamação dos tecidos cerebrais devido a uma doença ou lesão.
  • Produção excessiva. Raramente, os mecanismos para produzir fluido cerebrospinal produzem mais do que o normal e mais rapidamente do que pode ser absorvido.

Diagnóstico


  • Um diagnóstico de hidrocefalia geralmente baseia-se:
    • Nas suas respostas às perguntas do médico sobre sinais e sintomas
    • Num médico geral
    • Num exame neurológico
    • Em testes de imagiologia cerebral

    Exame neurológico
    O tipo de exame neurológico irá depender da idade da pessoa. O neurologista pode fazer perguntas e realizar testes relativamente simples no consultório para avaliar:

    • Reflexos
    • Resistência dos músculos
    • Aspeto dos músculos
    • Tato
    • Visão e movimento ocular
    • Audição
    • Coordenação
    • Equilíbrio
    • Estado mental
    • Disposição

    Imagiologia cerebral
    Os testes de imagiologia cerebral podem revelar o alargamento dos ventrículos provocado por excesso de fluido cerebrospinal. Também podem ser usados para identificar causas subjacentes de hidrocefalia ou outros problemas que contribuem para os sintomas. Os testes de imagiologia podem incluir:

    • Ecografia Imagiologia por ultrassons, que utiliza ondas sonoras de alta-frequência para produzir imagens, sendo frequentemente utilizada para uma avaliação inicial das crianças porque é um procedimento de baixo risco relativamente simples. O dispositivo de ultrassons é colocado sobre o ponto sensível (fontanela) no topo da cabeça do bebé. O ultrassom também pode detetar hidrocefalia antes de nascimento quando o procedimento é utilizado durante exames pré-natais de rotina.
    • A imagiologia por ressonância magnética (IRM) utiliza ondas de rádio e um campo magnético para produzir imagens 3D ou da secção transversal detalhadas do cérebro. Este teste é indolor, mas é ruidoso e requer permanecer imóvel. Algumas ressonâncias magnéticas podem demorar até uma hora e requerem uma sedação leve das crianças. No entanto, alguns hospitais podem utilizar uma versão rápida ressonância magnética que demora aproximadamente cinco minutos e não requer sedação.
    • Tomografia digital (TC) é uma tecnologia de raio-X especializada que pode produzir imagens transversais do cérebro. O exame é indolor e demora cerca de 20 minutos. Este teste também requer permanecer imóvel, pelo que a criança normalmente recebe um sedativo leve. As tomografias digitais para detetar hidrocefalia normalmente são utilizadas apenas em casos de emergência.

Tratamento


Pode ser utilizado um de dois tratamentos cirúrgicos para tratar hidrocefalia.

Shunt
O tratamento mais comum para hidrocefalia é a inserção cirúrgica de um sistema de drenagem, denominado shunt. É composto por um tubo flexível longo com uma válvula que mantém o fluido do cérebro a fluir na direção cerca e à taxa adequada. Uma extremidade do tubo está geralmente colocada num dos ventrículos do cérebro. O tubo é então encaminhado sob a pele para outra parte do corpo onde o fluido cerebrospinal em excesso pode ser mais facilmente absorvido — tal como o abdómen ou uma câmara no coração.

As pessoas que têm hidrocefalia geralmente necessitam um sistema shunt para o resto das suas vidas e é necessária uma monitoração regular.

Ventriculostomia
A ventriculostomia é um procedimento cirúrgico que pode ser utilizado nalgumas pessoas. No procedimento, o cirurgião utiliza uma pequena câmara de vídeo para ter uma visão direta do interior do cérebro e faz um buraco na parte inferior de um dos ventrículos ou entre os ventrículos para permitir que o fluido cerebrospinal flua para fora do cérebro.

Complicações cirúrgicas
Ambos os procedimentos cirúrgicos podem dar origem a complicações. Os sistemas shunt podem parar a drenagem de fluido cerebrospinal ou regular ineficientemente a drenagem devido a avarias mecânicas, obstrução ou infeções. A passagem criada durante uma ventriculostomia pode fechar-se subitamente.

Qualquer falha exige uma atenção imediata, revisões cirúrgicas ou outras intervenções. Os sinais e sintomas de problemas podem incluir:

  • Febre
  • Irritabilidade
  • Entorpecimento
  • Náuseas ou vómitos
  • Dor de cabeça
  • Problemas de visão
  • Vermelhidão, dor ou sensibilidade da pele ao longo do percurso do tubo shunt
  • Dor abdominal quando a válvula shunt está no abdómen
  • Recorrência de qualquer dos sintomas iniciais de hidrocefalia

Outros tratamentos
Algumas pessoas com hidrocefalia, particularmente crianças, podem necessitar de tratamento adicional, dependendo da gravidade de complicações a longo prazo de hidrocefalia.

Uma equipa de cuidados para crianças pode incluir:

  • O pediatra ou fisioterapeuta que supervisiona o plano de tratamento e cuidados médicos
  • Neurologista pediátrico que se especializa no diagnóstico e tratamento de distúrbios neurológicos em crianças
  • O terapeuta ocupacional, que se especializa em terapia para desenvolver competências do quotidiano
  • Terapeuta desenvolvimental que se especializa em terapia para ajudar as crianças a desenvolver comportamentos apropriados para a idade, competências sociais e competências interpessoais
  • Profissional de tratamento de saúde mental tal como um psicólogo ou psiquiatra
  • Assistente social que ajuda a família a aceder a serviços e a planear transições durante os cuidados
  • Professor de educação especial que lida com dificuldades de aprendizagem, determina necessidades educativas e identifica recursos educativos apropriados

Os adultos com complicações mais graves também podem necessitar de serviços de terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, especialistas em cuidado de demência ou outros especialistas médicos.



Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×
Comunicado

 

No âmbito do Plano de Prevenção e Controlo de Infeção por COVID-19, o Grupo Sanfil Medicina encontra-se a ajustar as atividades de saúde nas suas unidades.

 

Este plano tem como objetivos diminuir o risco de exposição de utentes e profissionais e define um conjunto de orientações de modo a que tal possa acontecer.

 

A COVID-19 é uma doença em fase de pandemia que urge combater com todos os recursos disponíveis, pelo que contamos com a colaboração de todos os utentes e profissionais.

 

Ler Comunicado
×