Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

Hérnia inguinal

01 Out Hérnia inguinal

Definição


Uma hérnia inguinal ocorre quando tecido macio — geralmente parte do intestino — surge sob a forma de protuberância através de um ponto fraco ou laceração na sua parede abdominal inferior. A protuberância resultante pode ser dolorosa — especialmente quando tosse, se dobra ou levanta um objeto pesado.

Não sendo necessariamente perigosa por si mesma, uma hérnia inguinal não melhora nem desaparece por si mesma. Uma hérnia inguinal pode resultar em complicações potencialmente fatais. Para esta razão, o seu médico provavelmente recomendará uma correção cirúrgica de uma hérnia inguinal que é dolorosa ou que possa torna-se maior. A correção da hérnia inguinal é um procedimento cirúrgico comum.


Sintomas


Algumas hérnias inguinais não apresentam qualquer sintoma e não pode saber que a tem até que o seu médico a detete durante um exame médico de rotina. Contudo, normalmente pode ver e sentir a protuberância criada pelo intestino protuberante. A protuberância é geralmente mais óbvia quando fica ereto, especialmente se tossir ou esforçar-se.

Os sinais e sintomas de uma hérnia inguinal incluem:

  • Uma protuberância na área num dos lados do osso púbico
  • Uma sensação de ardor, borbulhar ou dor na protuberância
  • Dor ou desconforto na virilha, especialmente ao debruçar-se, tossir ou levantar-se
  • Uma sensação de peso ou fricção na virilha
  • Debilidade ou pressão na virilha
  • De vez em quando, nos homens, dor e inchando no escroto em torno dos testículos quando o intestino protuberante desce em direção ao escroto

Sinais e sintomas em crianças 
As hérnias inguinais em recém-nascidos e crianças resultam de uma debilidade na parede abdominal presente na nascença. Às vezes a hérnia pode ser visível apenas quando criança chora, tosse ou esforça-se durante um movimento do intestino. Numa criança mais velha, há uma maior probabilidade da hérnia ser visível quando a criança tosse, se esforça durante um movimento do intestino ou permanece de pé durante um longo período de tempo.

Quando consultar um médico 
Consulte o seu médico se sentir uma protuberância dolorosa ou saliente na zona num dos lados do seu osso púbico. A protuberância provavelmente será mais visível quando permanece na vertical e geralmente pode senti-la se colocar a sua mão diretamente sobre a zona afetada.

Deverá ser capaz de fazer recuar suave e facilmente a hérnia para o abdómen quando se deita. Caso não consiga, aplicar um saco de gelo na zona pode reduzir o inchaço de forma suficiente de modo a que a hérnia deslize facilmente. Deitar-se com a pélvis mais alta do que a cabeça também pode ajudar.

Se ainda não for capaz de empurrar a hérnia, o intestino com hérnia pode ter ficado preso (obstruído) na parede abdominal — um problema grave que pode requerer atenção médica imediata. Este problema pode ser acompanhado por náuseas, vómitos, febre, ritmo cardíaco acelerado, dor repentina que aumenta rapidamente e uma protuberância da hérnia que fica vermelha, roxa ou escura. Se ocorrer qualquer destes sinais ou sintomas, consulte imediatamente o seu médico.


Causas


Algumas hérnias inguinais não têm uma causa aparente. Mas muitas ocorrem como consequência de:

  • Aumento de pressão no abdómen
  • Um ponto fraco preexistente na parede abdominal
  • Uma combinação de aumento de pressão no abdómen e um ponto fraco preexistente na parede abdominal
  • Esforço durante movimentos do intestino ou micção
  • Levantamento de pesos
  • Fluido no abdómen (ascites)
  • Gravidez
  • Excesso de peso
  • Tosse ou espirros crónicos

Em muitas pessoas, a debilidade da parede abdominal que dá origem a uma hérnia inguinal ocorre durante o nascimento quando o revestimento abdominal (peritoneu) não fecha adequadamente. Outras hérnias inguinais desenvolvem-se mais tarde quando os músculos enfraquecem ou se deterioram devido a fatores como o envelhecimento, atividade física intensa ou tosse que acompanha o ato de fumar.

Nos homens, o ponto fraco geralmente ocorre ao longo do canal inguinal. Esta é a zona onde o funículo espermático, que contém o canal deferente, o tubo que transporta esperma, entra no escroto.

Nas mulheres, o canal inguinal transporta um ligamento que ajuda a manter o útero no sítio, e as hérnias por vezes ocorrem quando o tecido conjuntivo do útero fica preso ao tecido em torno do osso púbico.

Mais comum nos homens 
Os homens têm uma maior probabilidade de apresentar uma debilidade inerente ao longo do canal inguinal devido à forma como os homens se desenvolvem no útero. Nos fetos masculinos, os testículos formam-se dentro do abdómen e depois descem o canal inguinal em direção ao escroto. Pouco depois após o nascimento, o canal inguinal fecha-se quase por completo, deixando apenas o espaço suficiente para que o funículo espermático passe, mas não é suficientemente grande para permitir que os testículos regressem ao abdómen.

Contudo, por vezes o canal não fecha corretamente, deixando uma zona debilitada. A hipótese do canal inguinal não fechar após o nascimento é menor em bebés do sexo feminino. De facto, as mulheres têm uma maior probabilidade de desenvolver hérnias no canal femoral, uma abertura perto do canal inguinal onde a artéria, a veia e os nervos femorais passam.

As debilidades também podem ocorrer na parede abdominal numa fase posterior, especialmente após uma lesão ou determinadas operações na cavidade abdominal.

Caso possua ou não uma debilidade preexistente, a pressão adicional no abdómen devido a esforço, levantamento de pesos, gravidez ou peso excessivo pode provocar uma hérnia.


Diagnóstico


  • Um exame médico é geralmente o suficiente para diagnosticar uma hérnia inguinal. Provavelmente o seu médico irá questioná-lo acerca dos seus sinais e sintomas e verificar a existência de uma protuberância na zona da virilha. Dado permanecer de pé ou tossir possa tornar uma hérnia mais proeminente, pode ser-lhe pedido que se levante e tussa ou exerça pressão como parte do exame.

Tratamento


Se a sua hérnia for pequena e não o incomodar, o seu médico pode recomendar aguardar e manter em observação. Mas o aumento ou hérnias dolorosas normalmente requerem uma correção cirúrgica para aliviar o desconforto e prevenir complicações graves. Há dois tipos gerais de operações às hérnias:

  • Herniorrafia. Neste procedimento, também denominado correção da hérnia “aberta”, o cirurgião faz uma incisão na virilha e faz recuar o intestino protuberante em direção ao abdómen. Em seguida, o cirurgião corrige o músculo debilitado ou rasgado por cosendo-o. Normalmente a zona debilitada também é reforçada e sustentada com uma tela sintética, um procedimento denominado hernioplastia. Após a operação, será incentivado a movimentar-se o quanto antes, mas pode ser necessário aguardar entre quatro a seis semanas antes de poder retomar totalmente as suas atividades normais.
  • Laparoscopia. Numa cirurgia laparoscópica, o cirurgião recorre a várias incisões pequenas em vez de uma incisão grande. É introduzido um tubo de fibra ótica com uma câmara minúscula no seu abdómen através de uma incisão e são introduzidos instrumentos em miniatura através das outras incisões. Em seguida, o cirurgião executa a operação utilizando a câmara de vídeo como guia. Na cirurgia laparoscópica, é utilizada sempre uma tela sintética para corrigir a hérnia (hernioplastia).

As vantagens de reparação laparoscópica incluem um menor desconforto e cicatrizes após a cirurgia e uma recuperação mais rápida para realizar atividades normais — a maior parte das pessoas regressa ao trabalho dentro de alguns dias. O procedimento é uma escolha adequada para pessoas cujas hérnias aparecem novamente após uma cirurgia tradicional às hérnias porque os métodos laparoscópicos permitem que os cirurgiões trabalhem em redor de tecido da cicatriz de uma correção anterior. Também é adequada para as pessoas que têm hérnias em ambos os lados do corpo (hérnias inguinais bilaterais).

As desvantagens da correção laparoscópica incluem um maior risco de complicações e a reincidência após a cirurgia. Estes riscos são reduzidos se o procedimento for executado por um cirurgião com uma vasta experiência neste tipo de correções.

Pode não estar habilitado a ser submetido a correções laparoscópicas de hérnias caso possua uma hérnia muito grande, se o seu intestino estiver pressionado em direção ao escroto ou se já tiver sido submetido a uma cirurgia pélvica prévia, tal como uma prostatectomia.



Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×
Comunicado

 

No âmbito do Plano de Prevenção e Controlo de Infeção por COVID-19, o Grupo Sanfil Medicina encontra-se a ajustar as atividades de saúde nas suas unidades.

 

Este plano tem como objetivos diminuir o risco de exposição de utentes e profissionais e define um conjunto de orientações de modo a que tal possa acontecer.

 

A COVID-19 é uma doença em fase de pandemia que urge combater com todos os recursos disponíveis, pelo que contamos com a colaboração de todos os utentes e profissionais.

 

Ler Comunicado
×