Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

Glaucoma

02 Out Glaucoma

Definição


O glaucoma não é apenas uma doença ocular, mas um grupo de doenças oculares que provocam danos no nervo óptico, podendo conduzir à cegueira. Geralmente, uma pressão anormalmente alta no interior do seu olho (pressão intra-ocular), mas nem sempre, provoca este dano.

O glaucoma é uma das principais causas de cegueira nos Estados Unidos. O glaucoma pode danificar a sua visão de forma tão gradual que pode não perceber qualquer perda da visão, até a doença encontrar-se numa fase avançada. O tipo mais comum de glaucoma, glaucoma primário de ângulo aberto, não apresenta sinais ou sintomas visíveis excepto perda gradual da visão.

Um diagnóstico e tratamento precoces podem minimizar ou prevenir o dano no nervo óptico e limitar a perda de visão derivada do glaucoma. É importante fazer um exame regular aos olhos e certificar-se de que o seu oftalmologista mede a pressão intra-ocular.


Sintomas

Os tipos mais comuns de glaucoma – glaucoma primário de ângulo aberto e glaucoma de ângulo fechado – apresentam sintomas completamente diferentes.

Os sinais e sintomas do glaucoma primário de ângulo aberto incluem:

  • Perda gradual da visão periférica, geralmente em ambos os olhos
  • Visão de túnel nos estágios avançados

Os sinais e sintomas do glaucoma de ângulo fechado agudo incluem:

  • Dor ocular
  • Náuseas e vómitos (acompanhados de for ocular intensa)
  • Início súbito de perturbação visual, muitas vezes com pouca luz
  • Visão turva
  • Halos em redor das luzes
  • Vermelhidão nos olhos

Que o glaucoma de ângulo aberto quer o glaucoma de ângulo fechado podem ser doenças primárias ou secundárias. Designam-se por primárias, quando a causa é desconhecida e por secundárias quando a doença pode ser atribuída a uma causa conhecida, como lesão no olho, medicamentos, certas doenças oculares, inflamação, tumor, cataratas ou diabetes em estágio avançado. No glaucoma secundário, os sinais e sintomas podem incluir os da doença primária, assim como sintomas típicos de glaucoma.

Quando consultar um médico
Não espere por problemas visíveis nos olhos. O glaucoma primário de ângulo aberto dá poucos sinais de alerta, até que o dano permanente ocorra. Exames oftalmológicos regulares são a chave para detectar o glaucoma suficientemente cedo para tratar a sua doença e evitar com sucesso a progressão da mesma.

A American Academy of Ophthalmology recomenda um exame oftalmológico completo para todos os adultos a partir dos 40 anos de idade e de três a cinco anos posteriormente se não apresentar quaisquer factores de risco associados ao glaucoma. Se tiver outros factores de risco ou tiver mais de 60 anos de idade, deve ser examinado todos os anos ou de dois em dois anos. Se for afro-americano, o seu médico provavelmente irá recomendar exames oftalmológicos periódicos entre os 20 e os 39 anos de idade.

Além disso, deve ter em atenção que uma forte dor de cabeça ou dor nos seus olhos, náuseas, visão turva ou halos em redor das luzes podem ser sintomas de um glaucoma de ângulo fechado agudo. Se tiver alguns ou vários destes sintomas juntos, dirija-se imediatamente a uma urgência ou a um oftalmologista.



Causas


Por razões que os médicos não conseguem perceber completamente, o aumento da pressão dentro do olho (pressão intra-ocular) está geralmente, mas nem sempre, associado ao dano do nervo óptico que caracteriza o glaucoma. Esta pressão deve-se à acumulação de um líquido (humor aquoso) que flui dentro e fora do seu olho.

Este fluido normalmente sai do seu olho através de um sistema de drenagem no ângulo onde a íris e a córnea encontram-se. Quando o sistema de drenagem não funciona correctamente, o fluido não pode filtrar para fora do olho ao seu ritmo normal e a pressão aumenta dentro do seu olho.

Glaucoma primário de ângulo aberto
No glaucoma primário de ângulo aberto, o ângulo de drenagem formado pela córnea e a íris permanece aberto, mas os canais de drenagem (malha trabecular) no ângulo estão parcialmente bloqueados, fazendo com que o líquido drene para fora do olho muito lentamente. Isso faz com que o líquido fique bloqueado no seu olho, e a pressão aumenta gradualmente dentro do seu olho.

Os danos ao nível do nervo óptico não provocam sintomas ou dor, e isso acontece tão lentamente que pode perder uma grande parte da visão antes de se aperceber que tem um problema. A causa exacta do glaucoma primário de ângulo aberto permanece desconhecida.

Glaucoma de ângulo fechado
O glaucoma de ângulo fechado surge quando a íris é empurrada para a frente restringindo ou bloqueando o ângulo de drenagem formado pela córnea e a íris. Em consequência, o líquido não consegue fluir de forma adequada e sair do seu olho, e a sua pressão ocular pode aumentar abruptamente. O glaucoma de ângulo fechado normalmente aparece de forma súbita (glaucoma de ângulo fechado agudo), mas também pode manifestar-se gradualmente (glaucoma de ângulo fechado crónico).

Algumas pessoas com um ângulo de drenagem anormalmente estreito podem correr o risco de desenvolver glaucoma de ângulo fechado.

Se tem um ângulo de drenagem estreito, a dilatação súbita das suas pupilas pode provocar glaucoma de ângulo fechado agudo.

Glaucoma de tensão normal
No glaucoma de tensão normal, o seu nervo óptico fica danificado. No entanto, a sua pressão ocular mantém-se normal. Os médicos não percebem porque é que isto acontece. Pode ter um nervo óptico sensível ou pode existir uma menor irrigação sanguínea para o nervo óptico. Esta falta de irrigação sanguínea pode ser provocada por aterosclerose – acumulação de depósitos de gordura (placas) nas artérias – ou outra condição, limitando a sua circulação sanguínea.

Glaucoma pediátrico
Alguns bebés ou crianças podem ser diagnosticados com glaucoma. Raramente, algumas crianças podem nascer com glaucoma (glaucoma congénito), desenvolver glaucoma nos primeiros anos de vida (glaucoma infantil) ou desenvolver glaucoma após os 4 ou 5 anos de idade (glaucoma juvenil). As crianças, geralmente, não apresentam quaisquer sintomas. No entanto, têm o nervo óptico danificado, o que pode ser provocado por bloqueios do ângulo ou má-formações (glaucoma primário infantil), ou pode desenvolver-se como resultado de outras doenças (glaucoma secundário).

Glaucoma pigmentar
No glaucoma pigmentar, grânulos de pigmento da sua íris acumulam-se nos canais de drenagem (malha trabecular), retardando ou obstruindo a saída do líquido do seu olho. Práticas desportivas, como fazer jogging, por vezes agitam os grânulos de pigmento, depositando-os na malha trabecular e provocando aumentos de pressão intermitentes.


Diagnóstico


O seu médico irá estudar o seu historial médico e realizar um exame completo do olho,

Seu médico pode realizar vários testes para diagnosticar o glaucoma, incluindo:

  • Medição da pressão intra-ocular. A tonometria é um procedimento simples, indolor que mede a pressão interna do olho (pressão intra-ocular), depois de anestesiar os olhos com gotas. É geralmente o exame de despistagem inicial para o glaucoma.
  • Teste para verificar danos no nervo óptico. Para verificar danos no seu nervo óptico, o seu oftalmologista utiliza instrumentos para olhar directamente através da pupila para a parte de trás do seu olho. Este teste pode revelar ligeiras alterações que podem indicar o início do glaucoma.
  • Exame de campo visual. Para verificar se o seu campo visual foi afectado pelo glaucoma, o seu médico utiliza um exame especial para avaliar a sua visão de lado (periférica).
  • Acuidade visual. O seu médico irá testar a sua capacidade de ver ao longe.
  • Medição da espessura da córnea (paquimetria). Os seus olhos são anestesiados para este exame, que determina a espessura de cada córnea, factor importante no diagnóstico de glaucoma. Se tem córneas espessas, a leitura da pressão do seu olho pode ser mais alta do que o normal mesmo que não tenha glaucoma. Da mesma forma, as pessoas com córneas finas podem ter leituras de pressão normal e mesmo assim ter glaucoma.
  • Outros exames. Para distinguir entre glaucoma de ângulo aberto e glaucoma de ângulo fechado, o seu oftalmologista pode usar uma técnica designada por gonioscopia, mediante a qual é colocada uma lente especial no seu olho para inspeccionar o ângulo de drenagem. Outros exames, como exames de imagiologia, foram desenvolvidos e podem, por vezes, ser utilizados.

Tratamento


O objectivo do tratamento do glaucoma é baixar no olho (pressão intra-ocular). Para tratar a sua doença, os médicos podem baixar a pressão do olho, melhorar a drenagem de líquido no olho ou diminuir a quantidade de líquido produzido no olho.

O glaucoma não pode ser curado e os danos provocados pela doença são irreversíveis, mas tratamento e exames regulares podem prevenir a perda de visão em pessoas com glaucoma precoce. Se já tiver ocorrido perda da visão, o tratamento pode retardar ou evitar mais perda de visão.

Gotas oculares
O tratamento do glaucoma, começa muitas vezes com gotas oculares. Certifique-se que usa as gotas exactamente como prescrito. Caso contrário, o dano do nervo óptico pode ficar ainda pior. Se o seu médico receitar mais do que um tipo de gotas oculares, certifique-se que pergunta qual o tempo de espera entre as aplicações e que usa as gotas durante o tempo prescrito pelo seu médico.

Dado que algumas das gotas oculares são absorvidas pela corrente sanguínea, pode sentir alguns efeitos colaterais não relacionados com os seus olhos. Para minimizar essa absorção, feche os olhos durante um ou dois minutos depois de colocar as gotas. Pressione ligeiramente o canto do olho perto do nariz para fechar o canal lacrimal durante um ou dois minutos e limpe quaisquer gotas não utilizadas da sua pálpebra.

As gotas oculares receitadas com mais frequência incluem:

  • Prostaglandinas. Muitas vezes os médicos prescrevem prostaglandinas para tratar o glaucoma de ângulo aberto. Estas gotas oculares aumentam o escoamento do líquido no olho (humor aquoso) e reduzem a pressão no olho. Exemplos incluem latanoprost (Xalatan) e bimatoprost (Lumigan). Possíveis efeitos colaterais incluem ligeira vermelhidão e ardência nos olhos e escurecimento da íris, alterações no pigmento da pele das pálpebras e visão turva
  • Beta-bloqueadores. Reduzem a produção de líquido no seu e a pressão no olho (pressão intra-ocular). Exemplos incluem timolol (Betimol, Timoptic) e betaxolol (Betoptic). Possíveis efeitos colaterais incluem dificuldade respiratória, frequência cardíaca mais lenta, pressão arterial baixa, impotência e fadiga. Se tiver doenças pulmonares ou cardíacas, poderão ser recomendados medicamentos diferentes dos beta-bloqueadores dado que estes podem agravar os problemas respiratórios.
  • Agonistas alfa-adrenérgicos. Estes medicamentos reduzem a produção de humor aquoso e aumentam o escoamento do líquido no olho. Exemplos incluem apraclonidina (Iopidine) e brimonidina (Alphagan). Possíveis efeitos colaterais incluem frequência cardíaca irregular, hipertensão arterial, cansaço, olhos vermelhos, inchados ou comichão nos olhos e boca seca.
  • Inibidores da anidrase carbónica. Estes medicamentos são raramente usados mas podem reduzir a produção de líquido no olho. Exemplos incluem dorzolamida (Trusopt) e brinzolamida (Azopt). Possíveis efeitos colaterais incluem micção frequente e uma sensação de formigueiro nos dedos das mãos e dos pés.
  • Agentes colinérgicos ou mióticos. Estes também aumentam o escoamento do líquido no olho. Exemplos incluem pilocarpina (Isopto Carpine) e carbacol (Isopto Carbachol). Possíveis efeitos colaterais incluem pupilas mais pequenas, visão turva ou crepuscular, ou miopia.
  • Medicação combinada. Por vezes, os médicos podem prescrever uma medicação combinada, como um beta-bloqueador e agonistas alfa-adrenérgicos, ou beta bloqueador e um inibidor da anidrase carbónica.

Medicamentos de administração oral
Se as gotas por si só não baixarem a pressão do olho até ao nível desejado, o seu médico também pode prescrever uma medicação oral, geralmente sob a forma de um inibidor da anidrase carbónica, para reduzir a pressão do olho. Esta medicação pode provocar efeitos secundários, incluindo micção frequente, uma sensação de formigueiro nos dedos das mãos e dos pés, depressão, dores de estômago e pedras nos rins.

Investigação sobre o tratamento
Investigação para avaliar a eficácia de medicamentos e outros tratamentos de glaucoma e estudar possíveis novos tratamentos para pessoas com glaucoma está em curso. Ensaios clínicos em curso estão a avaliar certos medicamentos que podem ajudar a proteger o nervo óptico de danos associados ao glaucoma.

Cirurgia
Poderá precisar de cirurgia para tratar o glaucoma, se não tolerar os medicamentos ou se estes forem ineficazes. Por vezes um único procedimento cirúrgico pode não ser eficaz para baixar a sua pressão ocular. Poderá ser necessário continuar a usar as gotas oculares ou poderá ter de ser submetido a outra intervenção cirúrgica.

Possíveis complicações da cirurgia ao glaucoma incluem infecção, inflamação, hemorragia, pressão intra-ocular anormalmente alta ou baixa e perda da visão. A cirurgia ao olho também pode acelerar o desenvolvimento de cataratas. A maioria destas complicações pode ser tratada de forma eficaz.

Cirurgias que podem ser realizadas para tratar o glaucoma incluem:

  • Cirurgia a laser. Pode ser submetido a um procedimento em ambulatório, designado por trabeculoplastia laser (“truh-BEK-u-low-plas-tee”) para tratar o glaucoma de ângulo aberto. Depois de lhe serem aplicadas gotas oculares anestésicas, o médico usa um feixe de laser de alta energia para abrir canais de drenagem entupidos e ajudar o líquido a fluir mais facilmente do seu olho.

O seu médico necessitará de verificar a sua pressão ocular várias vezes nas semanas seguintes Poderá demorar algumas semanas até que o efeito completo da cirurgia se note.

A cirurgia a laser para o glaucoma inicialmente reduz a pressão no olho (pressão intraocular). Com o tempo, no entanto, a pressão intra-ocular pode começar a aumentar.

  • Cirurgia filtrante. Se as gotas oculares e a cirurgia a laser não forem eficaz para controlar a sua pressão ocular, poderá ser necessária uma intervenção cirúrgica designada por trabeculectomia.

Este procedimento é realizado num hospital ou num centro de cirurgia de ambulatório. Ser-lhe-á administrada medicação para o ajudar a relaxar e, geralmente, uma injecção de anestésico para anestesiar o olho. Usando pequenos instrumentos sob um microscópio de operação, o cirurgião cria uma abertura na esclera – o branco do olho – e remove uma pequena porção de tecido de olho na base da sua córnea através da qual o líquido drena do seu olho (malha trabecular). O líquido no seu olho pode agora livremente sair do seu olho através desta abertura. Consequentemente, a sua pressão ocular será reduzida.

A sua cirurgia será realizada num olho. Se necessário, várias semanas mais tarde, poderá ter de ser submetido a uma intervenção cirúrgica no outro olho. Poderão ser necessários procedimentos ou tratamentos adicionais, uma vez que a abertura, por vezes, fecha ou podem ocorrer outras alterações no seu nervo óptico.

O seu médico examinará o seu olho durante várias visitas de acompanhamento, e precisará de usar gotas oculares anti-inflamatórias e antibióticos para combater a infecção e cicatrizar a abertura de drenagem recentemente criada.

Outro procedimento realizado no olho remove uma tira específica da malha trabecular com uma pequena ferramenta. O cirurgião insere a ferramenta no canal de drenagem do olho, através de uma pequena incisão na borda da córnea, e remove a pequena parte da malha trabecular. Este procedimento ajuda o líquido a drenar mais facilmente do olho.

  • Implantes de drenagem. Algumas pessoas com glaucoma avançado, glaucoma secundário ou crianças com glaucoma podem ser elegíveis para implantes de drenagem. A cirurgia de implante de drenagem é realizada num hospital ou numa clinica em ambulatório. Neste procedimento, o cirurgião insere um pequeno tubo no seu olho para facilitar a drenagem de líquido (humor aquoso) do seu olho para reduzir a pressão.

Na trabeculectomia e nos implantes de drenagem, o líquido é direccionado para uma bolha (blister) na camada exterior do seu globo ocular, onde pode ser absorvido.

Tratamento do glaucoma de ângulo fechado agudo
O glaucoma de ângulo fechado agudo é uma urgência médica. Quando lhe é diagnosticada esta doença, necessitará de tratamento urgente para reduzir a pressão no seu olho. Este tratamento exigirá, geralmente, medicação e procedimentos médicos.

Poderá ser submetido a um procedimento designado por iridotomia periférica por laser. Na iridotomia, os médicos criam um pequeno orifício na sua íris usando um laser, de modo a que o líquido (humor aquoso) possa fluir através dele e sair do seu olho. Os médicos avaliarão o outro olho e podem recomendar uma iridotomia nesse olho, devido ao elevado risco do ângulo de drenagem também fechar no futuro.



Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×
Comunicado

 

No âmbito do Plano de Prevenção e Controlo de Infeção por COVID-19, o Grupo Sanfil Medicina encontra-se a ajustar as atividades de saúde nas suas unidades.

 

Este plano tem como objetivos diminuir o risco de exposição de utentes e profissionais e define um conjunto de orientações de modo a que tal possa acontecer.

 

A COVID-19 é uma doença em fase de pandemia que urge combater com todos os recursos disponíveis, pelo que contamos com a colaboração de todos os utentes e profissionais.

 

Ler Comunicado
×