Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

Convulsão febril

02 Out Convulsão febril

Definição


Uma convulsão febril é uma convulsão em crianças jovens  que pode ser provocada por um aumento brusco da temperatura do corpo, frequentemente resultado de uma infecção. Ver o seu filho com uma convulsão febril pode ser alarmante. Embora uma convulsão febril possa durar apenas alguns minutos, poderá parecer uma eternidade para si.

As convulsões febris representam uma resposta única de um cérebro de uma criança jovem à febre. Felizmente, as convulsões febris não são tão perigosas quanto possam parecer. São geralmente inofensivas e normalmente não indicam um problema a longo prazo ou persistente. Pode ajudar o seu filho protegendo-o durante uma convulsão febril e oferecendo conforto depois.

A seguir a uma convulsão febril, contacte o seu médico para que o seu filho seja avaliado o mais brevemente possível.


Sintomas

Os sintomas da convulsão febril podem variar entre sintomas ligeiros — revirar os olhos — a sintomas mais sérios como tremores (sacudidelas) ou contracção dos músculos.

Uma criança com uma convulsão febril pode:

  • ter febre acima dos 38,0º C (100.4 F)
  • perder os sentidos
  • tremer ou sacudir  braços e as pernas dos dois lados do corpo
  • revirar os olhos

As convulsões febris são classificadas como simples ou complexas:

  • convulsões febris simples. Estas são o tipo mais comum de convulsão febril e podem durar entre alguns segundos e 15 minutos. As convulsões febris simples não se repetem num período de 24 horas. Estas convulsões começam como uma convulsão tónico-clónica generalizada (grande mal) e não envolvem olhos fixos ou arregalados e tremores em apenas uma parte do corpo.
  • Convulsões febris complexas. Uma convulsão febril complexa tem uma duração superior a 15 minutos, ocorre mais do que uma vez num intervalo de 24 horas ou atinge apenas um dos lados do corpo da criança.  l

As convulsões febris ocorrem mais frequentemente quando existe um aumento brusco da temperatura do corpo, normalmente  no prazo de 24 horas após o início de uma febre e pode ser o primeiro sinal de que uma criança está doente.

Quando consultar um médico

Contacte imediatamente o médico do seu filho se for a primeira convulsão febril do seu filho, ainda que dure apenas alguns segundos.   Se a convulsão terminar rapidamente, contacte o seu médico logo que a convulsão passe e pergunte-lhe onde e quando o seu filho pode ser examinado.

Chame uma ambulância para levar o seu filho a uma urgência se a convulsão durar mais de 10 minutos ou for acompanhada por:

  • vómitos
  • rigidez no pescoço
  • problemas respiratórios
  • extrema sonolência


Causas


A maior parte das convulsões febris ocorrem devido a um aumento brusco da temperatura do corpo e ocorrem sobretudo durante o primeiro dia de uma febre.

Infecção viral ou bacteriana
Normalmente, as febres que desencadeiam convulsões febris são provocadas por uma infecção bacteriana ou viral no corpo do seu filho. Doenças típicas da infância, incluindo doenças respiratórias e infecções como a roséola — uma infecção viral que provoca inchaço nos gânglios linfáticos, geralmente no pescoço, e uma erupção cutânea — são frequentemente associadas às convulsões febris. Uma causa menos comum, mas muito grave de febre súbita com convulsões é uma infecção do cérebro ou da medula espinal (sistema nervoso central), como a meningite ou encefalite. Estas doenças também podem provocar convulsões sem febre.

Convulsões pós-imunização
O risco de convulsões febris pode aumentar após algumas vacinas da infância, como a vacinação contra a difteria, tétano e tosse convulsa acelular (DTPa) ou a vacinação contra o sarampo-papeira-rubéola (MMR). É normal a existência de febres baixas depois do seu filho tomar as vacinas da infância. Se ocorrer uma convulsão febril, esta é provocada pela febre que pode acompanhar a vacinação — não pela vacinação em si mesma.


Diagnóstico


Depois de uma convulsão febril o seu filho deverá fazer os seguintes exames:
um exame físico
exames ao sangue
exames à urina
Estes exames podem ajudar a determinar possíveis causas da febre e da convulsão.
Se seu médico suspeitar de uma infecção do sistema nervoso central, poderá ser necessária uma punção lombar (“torneira espinal). Neste procedimento, um médico insere uma agulha na parte inferior das costas do seu filho e retira uma pequena quantidade de fluido espinal. Este teste pode revelar a prova de infecção no fluido que envolve o cérebro e a medula espinal.
Mais testes como um electroencefalograma (EEG) — um teste que mede a actividade do cérebro — podem ser necessários se a criança tiver uma convulsão febril complexa.


Tratamento


Não é necessário baixar a febre do seu filho. Não tente, por isso, dar ao seu filho medicação para a febre durante uma convulsão, devido ao risco de asfixia. Pelo mesmo motivo, não coloque o seu filho numa banheira com água fria. É muito mais prático, mais confortável— e seguro — para o seu filho permanecer deitado sobre uma cama ou tapete.

A maioria das convulsões febris param por si só decorridos alguns minutos. Se o seu filho tiver uma convulsão febril que dure mais de 10 minutos — ou tiver convulsões repetidas — ligue para o serviço de urgências.

Episódios mais graves
Se a convulsão durar mais de 15 minutos, um médico poderá prescrever um medicamento que é administrado através do recto do seu bebé ou por via intravenosa para parar a convulsão.

Se a convulsão for prolongada ou acompanhada por uma infecção grave ou se o foco da injecção não puder srer terminado o  seu médico pode querer que o seu filho permanecer no hospital para observação posterior No entanto o internamento no hospital não é sistematicamente necessário para convulsões febris.



Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×