Unidades

Casa de Saúde de Santa Filomena

 Coimbra

 +351 239 851 650

Laboratório D. Diniz

 Coimbra

 +351 239 835 936

Centro de Diagnóstico e Tratamento Integrado

 Coimbra

  +351 239 701 627

Diaton

 Coimbra

 +351 239 851 650

Clínica Radiológica Peito Cruz

 Coimbra

 +351 239 828 626

Centro de Radiologia da Figueira da Foz

 Figueira da Foz

 +351 233 422 593

Imalis

 Leiria

 +351 244 831 921

Centro Hospitalar de S. Francisco

 Leiria

 +351 244 819 300

Clínica da Lousã

 Lousã

 +351 239 073 910/1

Imagran

 Marinha Grande

 +351 244 569 084

Nefrovales

 São Martinho

 +351 239 813 318

GRUPO SANFIL

 

POLÍTICA DE QUALIDADE



O Grupo SANFIL MEDICINA tem como princípio básico a satisfação dos seus clientes, pelo que se pauta por uma Política da Qualidade, assumindo os seguintes compromissos:
 


SATISFAÇÃO DO CLIENTE

Conhecendo as necessidades dos nossos clientes, conseguimos planear os serviços por forma a satisfazer os seus requisitos e contribuir para sustentabilidade da organização.

 


PRÁTICAS SEGURAS

Em cada ato trabalhamos para minimizar a probabilidade de efeitos indesejáveis na prestação dos nossos serviços, tendo em conta o estado da arte em matéria técnico científica e a maximização da sua efetividade ao melhor custo. Consideramos a segurança do utente a nossa prioridade e não descuramos da segurança dos nossos colaboradores, avaliando continuamente se os recursos disponíveis e os procedimentos estão ajustados.

 


MELHORIA CONTÍNUA

Promovemos e incentivamos a melhoria contínua, garantindo elevados níveis de desempenho dos nossos serviços, com vista a superar as expectativas dos nossos clientes. Alicerçamos os nossos serviços na melhoria contínua da eficácia do nosso Sistema de Gestão da Qualidade, revendo diariamente as nossas práticas e promovendo a implementação de medidas corretivas e a comunicação interna.

 


CUMPRIMENTO DOS REQUISITOS LEGAIS

Garantimos e incentivamos os colaboradores que trabalham no Grupo SANFIL MEDICINA para um trabalho fundamentado na prática baseada na evidência e no respeito pelos requisitos legais e normativos em vigor.

 


PARCERIAS

Colaboramos com os nossos parceiros no sentido de promover a melhoria contínua dos nossos serviços e de cooperar no sentido de agilizar as relações entre fornecedores e parceiros.

 


CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

Desenhamos as nossas práticas com vista a causar o menor impacto ambiental possível e promovemos na organização uma cultura amiga do ambiente, incentivando a redução de desperdício de recursos naturais e através da otimização de circuitos.


CERTIFICAÇÕES



A certificação da qualidade no grupo SANFIL MEDICINA tem particular enfoque nas unidades hospitalares, unidades de imagiologia e laboratório de análises clínicas. O referencial certificado é a NP EN ISO 9001 (Sistemas de Gestão da Qualidade), pela entidade certificadora Bureau Veritas Certification.
 

As unidades hospitalares, Casa de Saúde de Santa Filomena (Coimbra) e Centro Hospitalar de São Francisco (Leiria) contam com esta certificação (desde 2013) nos âmbitos Bloco operatório, Unidade de internamento e Serviço de atendimento.
 
As unidades DIATON são certificadas (desde 2010) pelo mesmo referencial no âmbito de Realização de exames de imagiologia na área de TAC, Ressonância Magnética, Medicina Nuclear e Densitometria Óssea.
 
O Laboratório D. Dinis conta com certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade (desde 2007) no âmbito da Realização de análises clínicas.


QUALIDADE CLÍNICA



O grupo SANFIL MEDICINA participa no projeto SINAS@Hospitais (Sistema Nacional de Avaliação em Saúde – para a área hospitalar), desenvolvido pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), com as suas unidades hospitalares. Por reconhecer que este é um projeto que enriquece com saberes a gestão das nossas unidades hospitalares, tem sido feito um contínuo investimento na adesão ao SINAS, apostando na melhoria contínua, integrando todas as medidas no SGQ das unidades hospitalares.

 
Só assim, conseguimos – ano após ano – obter a classificação 5 estrelas para as dimensões avaliadas: Excelência Clínica, Segurança do Doente, Focalização no Utente, Adequação e Conforto das Instalações, Satisfação do Utente.


SEGURANÇA DO UTENTE



Em todas as nossas unidades, proporcionar uma Cultura de Segurança aos nossos utentes é um objetivo permanente na nossa atividade, que começa desde logo com a segurança dos nossos colaboradores na prestação de cuidados de saúde.

 
Com a gestão de risco como vetor para maximizar a segurança institucional e do utente, são revistos periodicamente os vários riscos e a atuação nos mesmos, com vista à definição de medidas específicas por forma a tornar o nosso ambiente e serviços cada vez mais seguros.
 
 

Práticas Seguras
 

Prevenção de quedas (Meta Internacional de Segurança)
Por reconhecermos que o perigo de queda é um risco real, avaliamos este risco aos nossos utentes na admissão, periodicamente e em todas as transferências de setor, por forma a planear ações no sentido da prevenção.
 

Formação de profissionais

Temos como foco para a promoção da segurança a formação dos nossos profissionais de saúde nos seguintes domínios (entre outros):
• Contribuir para a cultura de segurança;
• Maximizar a qualidade no cuidado interdisciplinar;
• Comunicar eficazmente;
• Identificar e atuar sobre riscos;
• Aderir às precauções básicas de controlo de infeção.

 
Cirurgia segura (Meta Internacional de Segurança)
Somos um grupo de saúde que presta cuidados altamente diferenciados, tais como intervenções cirúrgicas complexas e com riscos associados.
 
Aderimos às mais recentes orientações para promover cirurgias mais seguras e colocando o utente no centro da nossa tomada de decisão.

 

Utentes parceiros na sua segurança

Colocamos o utente no centro da nossa estratégia para a segurança, assim incentivamos os nossos utentes a: prestar as informações que os nossos profissionais de saúde solicitam, a esclarecer sempre todas as suas dúvidas, a seguir o plano terapêutico que lhes propomos, a comunicar e assumir a responsabilidade pela recusa de quaisquer atos.
 
Do nosso lado, utilizamos uma linguagem clara e informamos de todas as possibilidades terapêuticas, para que os utentes possam decidir informada e livremente.

 

Prevenção de infeções (Meta Internacional de Segurança)
Nas nossas unidades, foram implementados mecanismos para otimizar a correta higienização das mãos, quer seja através da lavagem ou da desinfeção, segundo as orientações existentes. Para o efeito, dotámos os nossos espaços de dispensadores de Solução Antissética de Base Alcoólica, divulgamos e ministramos formação interna relativamente a esta precaução básica de controlo de infeção e aderimos periodicamente aos programas nacionais sobre a temática.

 
Utilização segura de equipamentos
O grupo SANFIL MEDICINA destaca-se pela quantidade e qualidade dos dispositivos clínicos de que dispõe. Assim, os nossos atos, por forma a serem mais rigorosos e menos invasivos, podem suportar-se em equipamentos que são controlados periodicamente quanto à sua operacionalidade, segurança e precisão.
 
Porém, e porque não nos chega apenas ter equipamentos controlados, as nossas equipas estão formadas quanto à correta manipulação dos mesmos, bem como os cuidados que o próprio utilizador deve ter e como proteger os nossos utentes, sempre que necessário.

 

Comunicação efetiva (Meta Internacional de Segurança)
Reforçamos a necessidade de produzir registos cada vez mais precisos, o que se revela ainda mais fulcral nas situações em que pode não existir suporte informático disponível. Para isso, todos os registos produzidos no grupo SANFIL MEDICINA devem:
• Ser em caligrafia legível;
• Ter data e hora;
• Recorrer apenas a siglas padronizadas;
• Ser objetivos e isentos de juízos pessoais;
• Ter identificação do colaborador no final de cada registo.
 
Para auxiliar neste processo, principalmente em comunicação à distância e em situação de urgência, recorremos à ferramenta SBAR, por forma a termos todos os dados necessários para a melhor gestão e mais segurança no processo dos nossos utentes.
 
• Situação – relato conciso da situação atual;
• Background /Antecedentes – informações clínicas sobre o utente;
• Avaliação – transmissão de dados atuais de avaliação objetiva do utente;
• Recomendação – recomendar ou pedir ações.
 
Administração segura de hemoderivados
Em situação de necessidade de transfusão de sangue:
• O médico solicita reserva de sangue ao serviço de sangue mais próximo;
• O serviço de sangue verifica o seu tipo de sangue e fornece o número de unidades solicitadas;
• Aquando da preparação para administração, a nossa equipa explica ao utente qual o procedimento e confirmará os seus dados de identificação;
• Durante a administração a nossa equipa vigia e monitoriza o utente, sendo que está apta a intervir e a devolver o conforto e segurança dos nossos utentes o mais brevemente possível.
 
Identificação de utentes (Meta Internacional de Segurança)
Porque cada um dos nossos utentes é único, temos instituída uma política de identificação de utentes. E, apesar de os nossos utentes serem únicos, se existirem dois nomes similares, tentaremos colocá-los em habitações diferentes.
 
Implementámos uma pulseira de identificação que acompanha o utente durante a sua estadia nas unidades do Grupo SANFIL MEDICINA e onde, além dos seus dados de identificação, é assinalado algum tipo de risco que seja identificado.
 
Utilização segura de dispositivos intravenosos

As nossas técnicas terapêuticas são diferenciadas, pelo que por vezes poderá verificar-se a necessidade de colocação de dispositivos intravenosos para administração de medicação ou meios de contraste, bem como para colheita de amostras de sangue.
 
Apesar de tratar-se de uma técnica simples, pode ter associados alguns riscos e, por isso, colocamos ao seu dispor uma equipa altamente treinada e disponível para prestar o melhor cuidado e reduzir os riscos ao máximo.

 
Administração segura de medicação (Meta Internacional de Segurança)
Por forma a aumentarmos a segurança na dispensa e administração de fármacos, estamos a implementar a classificação LASA (para distinção de fármacos com designação e aspetos semelhantes).
 
Simultaneamente:
• As prescrições são feitas em sistema informático ou com caligrafia legível;
• Procedemos regularmente ao controlo de validades;
• Implementámos um sistema de identificação de medicamentos de alto risco;

• Também promovemos a prescrição e consumo consciente de antibióticos, dentro e fora das nossas unidades, pelo que apelamos aos utentes que não se automediquem, mas consultem o seu médico.

 

Prevenção de úlceras por pressão
Assumimos que a maioria dos nossos utentes têm fatores mínimos, para o desenvolvimento de úlceras por pressão. No entanto, preocupamo-nos com todos e queremos ter a certeza que despistamos este risco e atuamos o mais precocemente possível.
 
Por este motivo, implementámos uma escala de avaliação do risco de desenvolvimento de úlceras por pressão, para todos os utentes em episódio de internamento e com idade superior a 18 anos.


Envie-nos o seu contacto, para podermos ajudar

Indique-nos  todas as informações possíveis para prestarmos o melhor atendimento, o mais personalizável possível.






×